O que a escrita tem a ver com autoconhecimento e alimentação?

Talvez você esteja pensando como o ato de escrever e comer podem estar interligados. Como a escrita pode ajudar no autoconhecimento e a repensar sua alimentação, independente da sua condição? Com qual objetivo nós duas – a Nati Rossi e eu – criamos a oficina Papel, Caneta e um Café? Bom, vim te contar!

Minha história com a dieta

Eu demorei muito para entender o poder da escrita no meu processo de autoconhecimento, aceitação e autoestima. Para resumir, a minha única relação entre comer e escrever era marcar em um caderno os pontos dos alimentos de cada refeição, além de anotar também tudo que comia diariamente. Eu separava esse carderninho para levar à nutricionista na semana seguinte. “Meu diário de dieta”, era o que identificava meu caderninho com uma etiqueta branca na capa.

Bom, nem preciso dizer que era um saco! Me esforçava muito com canetas coloridas ou páginas cheias de adesivos, porém nada fazia aquele momento ser agradável. No fim, acho que a única coisa boa que ficou da tal dieta dos pontos, foi que me ajudou com matemática.

Escrita, comida e autoconhecimento

Nunca fui uma pessoa magra e a minha batalha com balança durou anos. Na verdade, ela durou até eu entender que essa tal “batalha” nem existe. É uma coisa que diz respeito a tudo, menos sobre mim ou meu peso. E no fim, não ganhei, nem perdi essa “batalha”. Ela só desapareceu porque não fazia sentido. E foram os feminismos, a Naomi Wolf, as consultas com a Nati e a escrita que me ajudaram muito neste processo!

Eu sempre gostei muito de escrever. Não é a toa que esta é a profissão que escolhi. E na minha busca diária para melhorar minhas habilidades e minha criatividade vi que a escrita extrapola minha vida profissional. Escrever pode ser muito mais que posts sobre marketing digital, vida home office e dicas de moda. Escrever pode ser uma ótima forma de se conhecer!

É isso! Ao escrever você conta sua história, acessa suas memórias, dialoga com você mesma, se expressa e se conhece. A meditação me ajudou a respirar e acalmar minha mente. A escrita me ajudou a organizar todas as ideias, pensamentos e reflexões que ficam borbulhando em minha cabeça.

A escrita pode mudar tudo

Todos os dias de manhã pego meu caderninho que fica no criadinho ao lado da cama e escrevo. Escrevo o que sonhei, o que estou pensando, o que estou sentindo e as coisas que me preocupam. Faço também elogios a mim mesma ou registo as coisas boas que aconteceram no dia anterior. Fazer isso mudou minha vida! Esse meu momento todas as manhãs me tornou mais consciente, grata e me deixou mais comprometida comigo mesma.

E é isso que vamos fazer juntas na oficina Papel, Caneta e um Café! Escrever o que a gente sente, as memórias que temos das comidas gostosas, dos lugares que trazem boas lembranças, se conhecer, se amar… Vai ser mágico!

A gente se encontra no dia 25 de maio?

Diabéticas e Celíacas podem participar?<< >>Cadê a alma que tava aqui?

Leave a Reply

Your email address will not be published.